O estádio me faz voltar a ser criança 

Confrades tricolores, frequento estádios desde 1996, desde os longínquos anos sombrios. Faço parte da resistência que pegou o Fluminense pelas mãos e ajudou a não deixar acabar. Já bati muitas palmas para cada perna de pau que vocês mais novos nem podem imaginar. 
Conheci e frequentei o velho Maracanã, aquele de cimento onde a divisão da arquibancada entre as torcidas adversárias era feita pela PM com cordas e o nome popular era “neutra”. Apesar de ser um arquibaldo de raiz, já assisti a jogos nas antigas cadeiras, que eram de metais, e na finada Geral, o local do povo. 

Além do Maraca, já curti jogos em quase todos os estádios do RJ, alguns de São Paulo, Brasília, Minas e Espírito Santo. Ir a jogos sempre mexeu comigo, ao ponto de todas as vezes que entro no ex-Maior do Mundo, parece que é a primeira. É desse nível. 

Mas esse sentimento volta e meia esfria, seja por falta de tempo, ânimo, irritação com algo, etc. motivos não faltam. Mesmo assim eu não deixo de ir aos jogos, vou, mas não com aquela alegria habitual. 

Só que quando essa paixão volta é com força total! E é bem o momento atual. 

No ano passado eu conheci um grupo de amigos que tinha em comum o forte amor ao Fluminense, o gosto pela cerveja, a alegria e o bom humor. Eles tinham até nome: Fluchopp. Não são uma torcida organizada, mas um grupo de torcedores independentes e sem ligação política dentro do clube. Ahhh e que canta em português, com ritmo brasileiro. 

Me identifiquei e resolvi fazer parte. 

Hoje posso afirmar que tenho novos e bons amigos para celebrar os jogos do Fluzão. Me divirto, dou boas gargalhadas, comemoramos juntos, bebemos juntos e já até fizemos ações sociais. Somos uma família. E da paz! 

Quer colar com a gente no Fla x Flu? Compre seu ingresso para o setor Sul Inferior, entrada B e nos encontre no setor sinalizado com as setas vermelhas. 

Aos jogadores: joguem como bebemos!

Textos Recentes

Faça seu comentário